Informativo Técnico: Válvulas

Válvulas

A válvula de motor é um componente de precisão e, como tal, deve ser manuseada com extremo cuidado, evitando-se batidas que provoquem danos tanto na haste, quanto no assento.

Os motores produzidos a partir de 1994, injetados e controlados eletronicamente, interagem cada vez mais com esses e outros componentes mecânicos. Por essa razão, a alteração e a recuperação de peças do motor resultam invariavelmente em sérios prejuízos aos aplicadores e oficinas mecânicas.

A seguir nossas recomendações:

01. Não marcar com punção a face superior da cabeça da válvula para identificar sua posição no cabeçote. Este procedimento ocasionará um desvio na perpendicularidade entre a cabeça e a haste, originando um mal assentamento com a sede do cabeçote, resultando em queima e ruptura da válvula. Tal procedimento acarretará em perda da garantia. Recomendamos utilizar pintas com canetas hidrográficas para esta identificação.

02 Não recuperar o assento da válvula utilizando-se esmeril. Este procedimento altera a circularidade, concentricidade e a angulação da válvula, dificultando o seu assentamento na sede do cabeçote e resultando em vazamentos, queima e rupturas, com redução da potência do motor. Recomendamos trocar a válvula.

03. Não utilizar as molas de válvulas com comprimentos (mm) e cargas (Kgf) fora das especificações dos fabricantes. Este procedimento resulta em flutuações e travamentos das válvulas, rupturas e colisões com os pistões, causando danos irreparáveis no motor. Recomendamos trocar todas as molas.

04. Não reduzir a altura da válvula, rebaixando-a na ponta da haste. Este procedimento resulta em disfunção no tempo de abertura e fechamento das válvulas, provocando flutuações, travamentos, rupturas pela colisão do pistão. Recomendados trocar a sede do cabeçote.

RIC COMPONENTES
Área Técnica